RITA IVANA

Uma apaixonada pelo
ensino e enfermagem

Publicado no Jornal Pequeno no dia 15 de maio de 2009

Poderia ser mais uma entrevista como outra qualquer para mim, cheguei, entrei na sala, um ambiente muito organizado, requintado, mas prático. Em pé me esperando estava a minha entrevistada, elegantemente bem vestida, seria o meu primeiro contato com ela, mas claro que já conhecia de nome e dos seus trabalhos. Começamos a nossa conversa, de forma bem discreta, pensei que teria dificuldades, pois, apesar de muito culta, uma entrevista sempre assusta um pouco, mas bastou eu falar uma frase que continha duas palavras mágicas: enfermagem e docência para que os olhos dela brilhassem. O coração deve ter acelerado, a pressão deve ter subido e como numa transformação, aquela até então tímida entrevistada, tornou-se a apaixonada profissional pelo que faz. Esta paixão é o que movimenta a enfermeira e professora Rita Ivana, nossa Foto Digital desta semana.

Quem conhece a Rita Ivana do tempo da Universidade sabe do que estou falando. Ela continua a mesma, dos movimentos estudantis da época que foi do DAE – Diretório Acadêmico de Enfermagem e do DCE – Diretório Central dos Estudantes da UFMA. Fala apaixonada pela profissão de enfermagem que se mistura com a da docência, fica até difícil separar. Ela fala da necessidade das melhorias de condições e principalmente da qualificação, vibrando como aquela jovem dos bons tempos, fala com os olhos, com o corpo todo, fala com paixão.

Mas a vida da Rita Ivana parece um enredo de núcleo de novela, das melhores e de grande audiência. Nascida no interior, cedo teve que cedo teve que se acostumar com o ambiente hospitalar, pois seu pai ainda jovem começou a ter problemas de saúde. Neste tempo todo entre visitas ambulatoriais e internações, conviveu com a rotinha dos hospitais e presenciou coisas boas e ruins. Como vem de uma família simples, onde o amor e a vontade de estudar sempre foram pontos importantes. Inteligente e observadora como é, percebeu nos corredores das instituições hospitalares, que poderia no futuro melhorar a vida dos pacientes tornando-se enfermeira. Via os cuidados que seu pai recebia, mas também percebia a carência de bons profissionais.

Não deu outra: Rita Ivana formou-se na UFMA – Universidade Federal do Maranhão, em 1995, como uma das melhores da sua turma. Alguém disse está frase e não me lembro quem “se você não tem padrinho, estude” e foi o que fez. Passou em mais de 10 concursos que prestou, fez estágios em clinicas, trabalhou em hospitais como Nina Rodrigues e Dutra onde aprendeu muito e, com certeza, percebeu o quanto ainda tinha que caminhar para chegar onde queria. Engraçado como a vida da Rita Ivana sempre se mistura com a da sua família.

Tornou-se enfermeira em virtude do pai e como sua mãe era uma professora, também desde jovem conviveu entre lousa e giz, entre lápis e caderno, o que sem perceber iria mostrar um novo caminho para ela. Um dia, ainda na faculdade, apresentando um trabalho, apareceu o primeiro convite da Irmã Paula Maria para que a jovem Rita Ivana desse um curso no tradicional Instituto São Francisco de Assis de Enfermagem, o que para ela não foi nada de difícil e nem desafiador, encarou como mais uma situação que se apresentava em sua vida.

Do convite da Irmã, mais uma vez a vida de Rita começava a mudar. O mosquito da docência deu uma picada e ela passou a ser não só a enfermeira Rita Ivana e, sim, a professora enfermeira Rita Ivana. Concursada na UFMA, hoje toma conta da cadeira de Enfermagem Psiquiátrica. Mas foi no ano de 2000 que ela pôde colocar em prática os dois lados da Rita: aquela que reivindicava o melhor ensino, a melhor qualidade de professores com uma instituição que formasse, de fato, um profissional e do jeito que ela pensava. Junto com sua mãe fundou o Instituto Florence, uma referência nacional e parceira do Ministério da Saúde no programa PROFAE – Programa de Formação Profissional na área da Enfermagem.

Ela é realista e sabe que o ideal do ensino, a qualidade do docente e do enfermeiro, unidos a uma remuneração digna, está longe de acontecer no país, mas comenta “Na empresa que dirijo, temos sonhos e vamos atingi-los” e completa: “procuramos dar o melhor aos nossos profissionais, não o melhor que o mercado tem, mas o melhor que eles precisam receber”. São milhares de alunos, entre formação técnica e superior, vários cursos, amplos laboratórios e como ela mesmo comenta “muita vontade de aprender, pois nossa evasão é mínima”.

Reconhecimento é um dos pontos que busca para os profissionais das áreas que atua. Formação de qualidade é o que procura dar para seus alunos, pois ela sabe cada vez mais que o mercado é competitivo e, além do nome da instituição no diploma, ela sabe da responsabilidade de colocar um profissional da saúde no mercado, pois eles lidam com vidas e caímos no velho slogan, mas é uma pura verdade “vida não tem preço”.

Querem conquistar Rita? Falem da docência em enfermagem, do seu livro publicado sobre uso de álcool na adolescência, dos seus projetos futuros e, acima de tudo, da sua família. Operária do saber gosta de estuda e vive para ensinar. Vem de origem humilde e orgulha-se de ter estudado sempre em colégio público, exceto um período quando sobrou um dinheiro na família e conseguiu estudar uma pequena parte numa escola particular.

Valoriza o estudo, a família, ama a profissão de enfermagem e faz da sua vida de professora uma aula, não uma aula comum de 40 ou 50 minutos, mas sim uma aula de vida e de uma vida profissional para ser seguida. De muitas lutas, mas de vitórias e que nunca poderão ser apagadas da sua história, como a mais recente homenagem recebida do Conselho de Enfermagem do Maranhão pelos relevantes serviços dedicados a enfermagem.

Como Paulo Freire já dizia “Mudar é difícil, mas é possível” e Rita Ivana vem fazendo isso com muitos embates, determinação e, acima de tudo, com paixão o que faz desta mulher uma vitoriosa em tudo que se dedica a fazer.

Uma aula com a Professora Rita Ivana

Nome? Rita Ivana Barbosa Gomes
Dia e mês que nasceu? 07 de agosto
Signo? Leão
Cidade que nasceu? Mirador no Maranhão
O que representa a sua família? Meu lugar sagrado
Saudade de alguém? Meu falecido pai
E o coração como está? Tranquilo, em paz, vive bem e realizado. (Rita é casada com Francisco Candeia)
Pessoas importantes para você? Todos da minha família
O que representam seus filhos? Pedro e Marina, o sentido mais forte da minha vida.
Do que não abre mão no seu escritório? Do meu computador
Um profissional competente? Luís Fernando Bogéa Pereira que trabalha comigo aqui no Florence.
Do que não abre mão na sua empresa? Do meu amigo e administrador Luís Fernando
Para ensinar, técnico o superior? Tanto faz, gosto de ensinar
O 1º curativo a gente nunca esquece? Verdade, no 4º período de enfermagem
A 1ª aula a gente nunca esquece? Também, no Curso São Francisco de Assis
Um bom professor é aquele que…? Aprende com seus alunos
Um bom local de ensino é aquele que…? Existe muito debate, as ideias podem surgir, ou seja, um lugar plural.
Um bom aluno é aquele que…? Quer mais que aprender
Um exemplo de professor? Irmã Paula Maria da União
Uma instituição de ensino? UFMA
Do que se arrepende? Apesar de estudar muito, sempre fico achando que poderia ter feito mais, estudado mais, pesquisado mais… Acho que nunca vou estar satisfeita
Sobre o ensino da enfermagem no Maranhão? Tem evoluído muito
Sobre a enfermagem no Maranhão? Ela hoje é muito boa, mas ainda carente de um salário digno.
Como educadora, percebe vocação nos alunos? Isto é um desafio das instituições. Muitos chegam achando que ser enfermeiro é fácil, mas não é bem assim. Tem que estudar muito.

11111111

“Procuramos dar o melhor aos nossos profissionais, não o melhor que o mercado tem, mas o melhor que eles precisam receber”

Rita Ivana

Momentos especiais